Torne-se um associado (11) 98313-2324

Flávio Geraldo Concede Entrevista ao Boletim Preservação Deste Mês

Nº 694 - JULHO 2019

ENTREVISTA

Flávio Geraldo

Flavio Carlos Geraldo, 68 anos, tem orgulho de ter participado diretamente de 31, dos 50 anos de existência da ABPM. Biólogo por formação, na década de 1970 passou a se dedicar ao estudo e controle da qualidade de produtos de madeira no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Especializou-se em Ciência e Tecnologia de Madeiras nos Estados Unidos e tem dedicado toda vida profissional ao setor.

Nesta entrevista ao Boletim Preservação, o ex-presidente e sócio honorário relembra a história e suas passagens em sete diferentes gestões em três décadas de dedicação à associação.

Quais foram as principais conquistas e os desafios enquanto esteve na ABPM?

Foram muitos os desafios e as conquistas. Quando iniciei na ABPM, tínhamos pela frente o desafio de consolidar o Programa de Controle de Qualidade da madeira tratada nas Usinas de Tratamento de Madeiras. Tratava-se de um programa bastante interessante, legado das diretorias anteriores, executado através de um convênio celebrado entre o antigo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), o IPT e a ABPM. Eram pouco mais de 30 unidades na época e minha missão era visitar cada uma delas, colhendo informações estratificadas da produção de cada uma, assim como, amostras de produtos para análises e treinamentos básicos sobre as boas práticas operacionais. Foi o meu batismo, proporcionou-me a oportunidade de conhecer todos os tratadores da época.

Naquele período, os planos governamentais voltados às obras de infraestrutura, em especial à ampliação das linhas de transmissão e redes de distribuição de energia elétrica, estavam a todo vapor e o consumo de postes de eucalipto tratado era enorme. Ao mesmo tempo em que o mercado de postes de madeira tratada estava muito bom, surgiam os desafios de todos os lados, pois, a concorrência fazia enorme pressão junto às companhias energéticas com o intuito de denegrir a imagem do poste de madeira.

Isso se transformou no nosso maior desafio, fazendo com que a ABPM se desdobrasse em duas frentes: a consolidação dos conceitos de qualidade junto aos tratadores de madeira e o reforço da credibilidade do poste de eucalipto tratado junto às companhias energéticas por todo o Brasil.
Participei diretamente das atividades voltadas à revisão de textos de normas e à elaboração de novos textos normativos, ressaltando que o apoio e dedicação de todos os membros das respectivas comissões de normatização da ABPM tiveram papel fundamental para o alcance desses objetivos.

Fui também o responsável pelo lançamento e elaboração do Boletim Preservação – Boletim Informativo ABPM, na época fotocópias que eram distribuídas via Correios. Além disso, idealizei eventos nacionais em cidades como Porto Alegre (RS), Lajes (SC), Ipatinga (MG) e Salvador (BA).

Quando exerci a presidência de 2000 a 2004, adotamos de um programa de comunicação que teve como objetivo divulgar com maior amplitude os benefícios da madeira preservada. Foi possível ocupar espaços nos principais jornais das redes de rádio, televisão e imprensa escrita. Como representante da ABPM, participei da fundação da Red Iberoamericana de Protección de la Madera (RIPMA), em 2005. Na ocasião, entre representantes de vários outros países Ibero Americanos, fui convidado a apresentar em plenária o panorama da preservação de madeiras no Brasil.

Na parte técnica e de normas, como o segmento evoluiu nos últimos 15 anos?

Exemplos que podem representar uma evolução nos últimos 15 anos são as NBR 16.143 – Preservação de Madeiras – Sistema de Categorias de Uso e a NBR 16.201 – Cruzetas Roliças de Eucalipto Preservado Para Redes de Distribuição Elétrica. Em especial, a NBR 16.143 representa uma ferramenta que proporciona ao setor uma oportunidade de evolução indescritível a partir do momento que cria os referenciais para a utilização da madeira tratada para o setor construtivo.

Sem a menor dúvida, o Programa de autorregulamentação da ABPM – Qualitrat é também um sinal de evolução.

Posso afirmar que se não existisse a ABPM, não existiriam as normas e, por consequência, nossos mercados seriam muito pouco significativos, ou até inexistentes, pois, não haveria referenciais de qualidade mínima exigível.

Como associado e ex-presidente como projeta os próximos 50 anos da Associação?

Entre projetar e desejar um futuro melhor há certa distância. De qualquer forma, não vejo como projetar um grande futuro se o setor continuar a multiplicar o número de usinas de tratamento de forma desordenada, sem o mínimo de planejamento ou plano de negócios. O número de Usinas de Tratamento que surge a cada ano é desproporcional ao crescimento do mercado, havendo crescente perda de volumes por empresas e desencadeando uma concorrência extremamente predatória e, por consequência, total comprometimento da qualidade.

Não podemos ignorar as experiências de outros países no tocante ao uso da madeira em sistemas construtivos com base em madeira. Não vejo um futuro promissor se não voltarmos nossos olhos às inovações e buscarmos novos caminhos, procurando nos espelhar em mercados de países onde a utilização da madeira em sistemas construtivos crescem apoiados nas inovações.

Um dos planos que ainda permanece na minha lista de realizações é a fundação de uma Associação Sul Americana de Proteção de Madeiras, reunindo nossos vizinhos e ganhando forças para uma integração na elaboração de Normas e no desenvolvimento de mercados.

CONSTRUÇÃO CIVIL

Madeira tratada é opção sustentável para equipamentos públicos

Além do uso tradicional em deques, produtos também aparecem em parques infantis e pontos de ônibus de cidades brasileiras

Durabilidade, baixa manutenção, integração com o ambiente e sustentável. Com essas características, produtos de madeira tratada têm ganhado espaço em equipamentos urbanos de municípios brasileiros, de acordo com a Associação Brasileira de Preservadores de Madeira (ABPM).A Florestal Tratamento de Madeira, de Araranguá (SC), por exemplo, forneceu toda a madeira para a empresa Billy Toys, que executou projetos no Centro Histórico de Porto Alegre (RS) e na vila militar da base área em Canoas (RS). De acordo com Estela Pires, da Florestal, a escolha pela madeira tratada se deu em razão da garantia de durabilidade e baixa manutenção.

Outra empresa associada à ABPM que tem no nicho de mobiliário urbano um de seus segmentos de atuação é a Terra Sol. “Tivemos a oportunidade de desenvolver esse tipo de serviço com o objetivo de servir como mobiliário urbano em algumas cidades de Santa Catarina”, conta Thiago Streck Peres, do departamento Técnico Comercial da Terra Sol.

No portfólio da empresa aparecem as escadarias e trilhas de acesso à Praia do Rosa; deques, pergolados e bancos na Beira Mar Norte e na Beira Mar Continental de Florianópolis; deques na orla da Praia Central de Garopaba e na orla da Praia de Itapema; pontos de paradas de ônibus na cidade de Garopaba; além de playgrounds em algumas cidades.

Já a associada Venturoli teve a experiência de participar da revitalização de Arembepe, em Camaçari, na Bahia. Segundo Maíra Venturoli, para a construção do caminho foi utilizado na estrutura eucalipto tratado e no piso, tábuas de pinus tratado. Além disso, foram feitos guarda corpo, bancos, lixeiras, pergolados e postes de iluminação também em eucalipto tratado.

Na avaliação do presidente da ABPM, Gonzalo Lopez, o uso da madeira preservada em mobiliários urbanos e equipamentos coletivos dão maior visibilidade aos produtos e contribuem para disseminar as características positivas da madeira tratada. “A associação tem atuado na promoção do uso da madeira na construção civil. É importante que as concorrências públicas valorizem a utilização de produtos sustentáveis. A expectativa é vermos, cada vez mais, a madeira em espaço públicos”, completa.

NORMAS TÉCNICAS

As próximas reuniões das Comissões de Estudos da ABNT que estão trabalhando na revisão da NBR 16201 (cruzetas) e NBR 16143 (preservação) estão agendadas para o dia 27 de agosto, durante a realização do TECSICS 2019 no IPT.

COMUNICADO

A diretoria da ABPM comunica que, após avaliação conjunta entre a associação, Malinovski e FG4 Mad, este ano não será realizada a segunda edição do evento técnico WoodProtection – Conferência Sul-Americana de Tecnologias para Proteção de Madeiras, inicialmente programado para acontecer durante a Semana Internacional da Madeira, em Curitiba (PR), em setembro. A não realização do evento, no entanto, não compromete as outras ações programadas pela associação para este ano.

MERCADO

Sistema que controla produção de madeira nativa de Mato Grosso terá padrões europeus

Leia Mais

Salvador vai sediar o IV Congresso Brasileiro de Eucalipto

Leia Mais

AGENDA DE EVENTOS

Semana Internacional da Madeira

Os eventos técnicos da Semana Internacional da Madeira e a Lignum Latin America, feira da cadeia produtiva da madeira, estão com inscrições abertas. Na programação, estão previstos os encontros técnicos 3º Wood Trade Brazil; 2º ProWood; 3º Encontro Brasileiro de Biomassa e Energia da Madeira; e os inéditos Floresta 4.0 e Gis Forest.
Data: 10 a 13 de setembro
Local: Expo Barigui – Curitiba – PR

www.lignumlatinamerica.com

XXV Congresso Mundial da IUFRO

O XXV Congresso Mundial da União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal (IUFRO) terá como tema central “Pesquisa Florestal e Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável”. A estimativa da organização do evento é reunir pelo menos três mil pesquisadores, estudantes e professores. É a primeira vez que o evento será sediado por um país da América Latina.
Data: 29 de setembro a 5 de outubro de 2019
Local: ExpoUnimed – Curitiba – PR

www.iufro2019.com

Habitacon

Exposição de máquinas, equipamentos, produtos e serviços para habitação, construção e condomínios.
Data: 16 a 19 de outubro de 2019
Local: Expo Barigui – Curitiba – PR

www.feirahabitacon.com.br

50 anos ABPM

Evento de comemoração dos 50 anos da ABPM: confraternização, palestras, networking e jantar de comemoração.
Data: 12 de dezembro de 2019
Local: Hotel Fazenda Fonte Colina Verde – São Pedro – SP

www.abpm.com.br

Semana Internacional da Madeira

Os eventos técnicos da Semana Internacional da Madeira e a Lignum Latin America, feira da cadeia produtiva da madeira, estão com inscrições abertas. Na programação, estão previstos os encontros técnicos 3º Wood Trade Brazil; 2º ProWood; 3º Encontro Brasileiro de Biomassa e Energia da Madeira; e os inéditos Floresta 4.0 e Gis Forest.
Data: 10 a 13 de setembro
Local: Expo Barigui – Curitiba – PR

www.lignumlatinamerica.com

XXV Congresso Mundial da IUFRO

O XXV Congresso Mundial da União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal (IUFRO) terá como tema central “Pesquisa Florestal e Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável”. A estimativa da organização do evento é reunir pelo menos três mil pesquisadores, estudantes e professores. É a primeira vez que o evento será sediado por um país da América Latina.
Data: 29 de setembro a 5 de outubro de 2019
Local: ExpoUnimed – Curitiba – PR

www.iufro2019.com

Habitacon

Exposição de máquinas, equipamentos, produtos e serviços para habitação, construção e condomínios.
Data: 16 a 19 de outubro de 2019
Local: Expo Barigui – Curitiba – PR

www.feirahabitacon.com.br